Sínodo 2022: IEAB emite Moção sobre Meio Ambiente

Por ocasião do Sínodo da IEAB, realizado de 11 a 14 de novembro, foi aprovada uma moção sobre meio ambiente, a qual você a íntegra a seguir:

Moção sobre Meio Ambiente 

«O SENHOR Deus, colocou o ser humano no jardim do Éden, para o cultivasse e guardasse.» (Gn 2,15)
“E vi um novo céu e uma nova terra (…) Esta é a tenda de Deus entre os seres humanos, pois com eles habitará e eles serão os seus povos e o próprio Deus-com-eles será seu Deus (…) e Deus limpará as lágrimas dos seus olhos e a morte já não existirá (…) Agora faço novas todas as coisas” (Ap 21.1a,3b,4a,5b).
Amazônia é um dos mais importantes biomas do planeta. Sua preservação é fundamental para vida da nossa Mãe Terra. Além de sua rica biodiversidade, lá vivem milhões de pessoas, em particular comunidades indígenas, quilombolas, ribeirinhos e outras populações tradicionais, as principais guardiãs da floresta, e também milhões de pessoas em situação de vulnerabilidade e pobreza, principalmente nos centros urbanos.
Essa realidade é originada por um modelo insustentável de desenvolvimento que prevalece no Brasil e no mundo, agravado por quatro anos de desmonte das políticas públicas e do aumento do desmatamento na região.
Nesse momento crucial do Brasil e da humanidade, onde a crise climática é a face mais perversa de um sistema geopolítico não valoriza a vida e põe em primeiro lugar a acumulação de riquezas em detrimento da preservação dos ecossistemas, o Sínodo da Igreja Episcopal Anglicana do Brasil, reunido nos dias 11 a 14 de novembro de 2022, em Belém do Pará, na Amazônia brasileira, reitera:
1- Seu compromisso com a defesa da vida com a preservação da Amazônia e de seus povos, em particular os povos indígenas e tradicionais, tão perseguidos e ameaçados pela iniquidade vigente;
2- O apoio as iniciativas de combate ao desmatamento da Amazônia e de outros biomas, compreendendo que o desmatamento zero é parte fundamental do enfrentamento as mudanças climáticas, a manutenção das florestas em pé e a manutenção da vida, em toda sua plenitude.
3- A implementação de políticas públicas comprometidas com a vida que promovam sustentabilidade da Amazônia e de seus povos, de imediato isso significa reverter todos os retrocessos nos últimos quatro anos implementados pelo governo que finda agora no Brasil. Apoiamos a reivindicação dos povos indígenas, das populações tradicionais e dos movimentos ambientalistas de que o novo governo eleito estabeleça a revogação de todas as medidas que prejudicaram o meio ambiente e os povos das florestas.
4- Continuamos orando e apoiando para que o novo governo estabeleça políticas públicas de defesa da Amazônia, a partir do compromisso do Desmatamento Zero e de enfrentamento as mudanças climáticas, numa perspectiva socioambiental, tendo como foco o apoio à sobrevivência dos nossos povos indígenas e das populações mais vulnerabilizadas na região.
5- Reafirmamos o compromisso da Igreja Episcopal Anglicana do Brasil de seguir apoiando os povos indígenas e amazônicas, comprometida com a missão de defesa da Integridade da Criação e a Renovação do Mundo.